sábado, 8 de novembro de 2014

Trem

A pressa corre em estacato
Sem ligar uma nota a outra
Faz meus dedilhados parecerem 
Tontos, perdidos, atrasados.

Até cada universo se unir
Debaixo de nossas unhas,
Então me leve...
Só existe essa maneira de me hipnotizar,
Me fazer entrar no trem:
Pelo ouvido.

Lá reverberou uma melodia interna 
Imensa, onipresente.
Aquela que está presente 
Inclusive no silêncio.
O tempo todo.

E é na penumbra do harmônico,
Na sua quase transparência 
Que nos encontramos.

Por um instante pensei
Que a tivéssemos perdido,
Por um instante os universos 
Não se unem. 


(Giuly Biancato - 16 anos)