quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Universos Condensados

Ela anda achando que o mundo não é seu
Ela anda achando que nada lhe pertenceu.
Como nuvens, tudo escapa de sua mão.
Com a chuva, o mundo pinta o chão
De luzes nesta noite quente,
Tudo o que vê à frente
É onde pode se agarrar,
Se segurar
E esperar...

Tudo parece estar por um pequeno fio,
Como um botão acionado pela mão
A vida gira
Como um carrossel,
Mas ainda bem que tenho o seu mel.

Em um toque,
Por favor troque
Em universos condensados.
E num toque,
Por favor troque
Em universos.
Unindo os versos,
Tudo se faz perto,
Claro e quente
Como o sol.

Ela anda achando que pisa em falso
Ela anda achando que tudo está exausto
De cantar por este lugar,
De se encantar com este luar
Ao procurar um outro mar.

Mas e num toque
Por favor me mostre
Como é se achar.
Em um toque me segure
Para não desabar.

Unindo os versos,
Tudo se faz perto,
Claro e quente
Como o sol.

(Giuly Biancato - 17 anos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário